Retratos Anônimos

S É  R  I  E            F  O  T  O  G  R  Á  F  I  C  A 

Retratos Anônimos I
Pressione a setinha para iniciar o slide ou se preferir veja o slide no

 

 

Amigos,

Durante o outono deste ano (2013) percorri as ruas de minha cidade com o objetivo de fazer uma série de retratos autorizados de pessoas anônimas.

Minha metodologia foi muito simples, caminhava pela manhã ou fim da tarde pelas ruas e ao avistar pessoas que tinham algum traço que me chamava a atenção solicitava-lhes a fotografia. Meu pedido era geralmente algo como “bom dia, meu nome é Nilson e eu sou fotógrafo estou fazendo uma série fotográfica de retratos de pessoas anônimas, posso tirar uma foto sua?”  e assim fui prosseguindo com o trabalho.

Quase todas as fotos foram feitas nas ruas, umas poucas no metrô, todas sem flash ou qualquer outro tipo de produção local. Usei uma câmera Nikon D7000 e uma lente de 50mm de abertura máxima de 1.4f, mas trabalhei geralmente na abertura de 2.5 f.

Um trabalho que me fez refletir para além da técnica fotográfica. Obrigou-me a pensar a respeito dos limites éticos da photo street; sobre os motivos que podem levar uma pessoa confiar em um fotógrafo anônimo; e também sobre a rejeição e até desconfiança que algumas pessoas manifestaram em relação ao meu trabalho…

Fotografei homens, mulheres, jovens, velhos, moradores de rua, executivos e em cada um deles busquei esse ideal da fotografia em retratos, inocular momentos ínfimos, talvez, capazes de explicar diferentes estados de espírito humanos.

E foi assim que no jovem sufirta português que abordei caminhando do Arpoador em direção a Copacaba, vi no seus olhos claros a glória de aventuras passados e a expectativa das futuras; no morador de rua do Largo do Machado que encarou-me com um sorriso cansado de quem diz que “a vida é triste e dolorosa”; na mocinha de olhinhos pequenos e vibrantes da Rua Uruguaiana que me passou fé na juventude e em seus ponteciais; na moça que sentada nos bancos de uma pracinha em Botafogo repousou as mãos sobre seu rosto e desncansou todo o peso do mundo, e etc, etc, etc.

Foram 83 voluntários que gentilmente concordaram em pousar para meus retratos, elas não fazem idéia de como foram importantes para mim,  muito obrigado a todos vocês.

Espero que gostem das fotografias, o espaço ao final desta página é destinado aos comentários.

Abraços,

p.s. As fotos aqui  publicadas  NÃO estão a venda e estão protegidas por leis autorias (copyright). 

Nilson Soares

nilson.soares@outlook.com

6 comentários

  1. Nice Teixeira disse:

    Parabéns Nilson Soares!
    Você tem meu respeito e admiração, pelo seu lindo trabalho com retratos anônimos, um perfeito trabalho!
    Eu sou uma fãn de fotografia. eu amo a fotografia.
    Meu sonho é poder ter um boa camera em mãos para poder fazer o que você faz.
    Este cara desta foto que estou vendo agora é um amigo querido, ele é o Reinaldo, um guitarrista de primeira.
    O melhor que eu já vi aqui no Rio! Ele toca em bandas de rock aqui do Rio, especificamente na rua Ceará no Heavy Duty Rock Bar.
    Ele é um cara que eu respeito e admiro também, por sua performance e desenvoltura com a sua guitarra!
    Seu trabalho é lindo, e sua mensagem abaixo das fotos, me fez te admirar ainda mais! voce não é somente um excelente fotógrafo como uma pessoas especial!!
    Boa sorte e muito sucesso em sua jornada maravilhosa e prazerosa de trabalho com fotografias!!
    meu abraço
    Nice Teixeira

  2. Isabel disse:

    Amei todas as fotos! 🙂

  3. Mayra disse:

    anw que Top. queria ter a chance d ser fotografada tbm *—-* assim muito interessante

Deixe um comentário